Bacafá

Bacafá

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Deus e o jardim das delícias.

"Ou bem Deus existe e espera de nós atitudes exóticas como comer o corpo de seu filho unigênito ou o problema está em nós, mais especificamente em nossos cérebros, que fazem coisas estranhas quando operam no modo religioso. Fico com a segunda hipótese. Antes de desenvolvê-la, porém, acho oportuno lembrar que a própria pluralidade de tabus ritualísticos depõe contra a noção de Verdade religiosa."

Trecho do artigo Deus e o jardim das delícias, de Hélio Schwartsman.
Para ler o texto completo, clique aqui.

3 comentários:

Janaína Elias Chiaradia disse...

Buscando muitos assuntos sobre "Deus" hein?...

Darwinn Harnack disse...

A pluralidade de tabus ritualísticos no Direito (diversidade de fórmulas processuais), depõe contra a própria noção de verdades jurídicas?

A pluralidade de tabus sexuais e morais, depõe contra a própria noção de verdades no âmbito sexual e moral?

A resposta pode não ser tão óbvia.

Raphael Rocha Lopes disse...

Jana, minha linda, sabe bem o que penso disso.

Darwinn, meu amigo, creio que as respostas nunca são óbvias.